segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Wicca, a Religião da Deusa



A Wicca é a principal religião neopagã da atualidade, tendo elementos de bruxaria, mitologia celta, nórdica, magia cerimonial entre outras coisas. Tambem conhecida como a Antiga Arte, Antiga Religião ou simplesmente Bruxaria, seus seguidores são conhecidos como wiccanos ou bruxos.

Origem e Ramificações

A Wicca foi criada na década de 1950 por Gerald Gardner, na Inglaterra. Suas principais inspirações foram os trabalhos da antropóloga britânica Margaret Murray, que elaborou a Hipótese do Culto Bruxo, e sua experiência no New Forest Coven, no qual foi iniciado em 1939. A Hipótese do Culto Bruxo foi criada nos anos 1920 e dizia que talvez as bruxas caçadas durante a Idade Média pertencessem a um culto estruturalizado em volta de um casal de deuses; a deusa, a donzela e a lua, e o deus, o sátiro dos campos e o sol. Embora mais tarde a hipótese tenha sido desacreditada por acadêmicos, durante os anos 1930 vários grupos na Inglaterra alegaram praticar e preservar os costumes desse Culto.



Gerald Gardner era fascinado pelo assunto, e reunindo informações com seu coven (grupo de bruxos)  e outros, lançou em 1954 o livro Bruxaria Hoje (Witchcraft Today, em inglês). Com a  recente revogação da Lei dos Atos de Feitiçaria na Grã-Bretanha, Gardner pôde divulgar suas ideias e fundar seu próprio coven, hoje conhecido como Tradição Gardneriana. Ao longo dos anos 1960 a Wicca se espalhou pela Grã-Bretanha e pelo mundo, principalmente pelos Estados Unidos devido ao movimento hippie. Hoje é o principal movimento neopagão do mundo, e sua estimativa de adeptos nos Estados Unidos chega a 1,2 milhão de pessoas. A origem da palavra é controversa, mas acredita-se que venha do inglês antigo "wiccian" (sendo wicce utilizada para se referir às feiticeiras do sexo feminino), origem da palavra moderna "witch" que significa bruxa.

Hoje existem muitas tradições dentro da Wicca, sendo as principais a Gardneriana (a Wicca original fundada por Gardner), Alexandrina (fundada por Alex Sanders, que dizia ser de uma linhagem de bruxos), a Tradição de Cochrane, a Tradição de Feri (com um foco no esoterismo sexual e experiências de êxtase), e a Tradição Diânica (em referência à deusa Diana, um culto exclusivamente feminino e voltado para a Deusa). 

Crenças

A principal característica da Wicca é a adoração de dois deuses principais conhecidos como o Deus e a Deusa. O Deus, tambem chamado de Deus Cornífero, representa o sol, a natureza selvagem, a sexualidade, a caça e toda a energia positiva/masculina do Universo. Já a Deusa, tambem chamada de Deusa Mãe, representa a terra, a lua, a magia e toda a energia negativa/feminina. Porem, a Wicca pode ser considerada politeísta, pois venera muitos deuses alem dos dois principais. Como uma espécie de amálgama das religiões europeias pré-cristãs, são venerados deuses celtas, nórdicos, gregos, romanos, eslavos, etc. Os principais são aqueles que personificam os deuses principais, sendo para o Deus o deus celta Cernunnos, o Green Man, e deuses solares como Apolo e Lugh, e para a Deusa  a deusa tríplice dos celtas - a virgem, a mãe e a anciã - e a deusa romana Diana.

Em essência a Wicca é uma religião matriarcal e de culto à mulher. Isso se deve ao fato de ser uma religião que venera a vida - assim como a maioria das religiões pagãs -, e não existe vida sem a mulher. Geralmente o líder do coven é a sacerdotisa mais velha, embora as celebrações sejam dirigidas por um casal de sacerdotes. Quanto à moralidade wiccana, o principal documento sobre o tema é o Wiccan Rede (Conselho Wiccano em inglês antigo), poema elaborado pela Tradição Gardneriana que pode ser resumido em seu mote; sem a ninguem prejudicar faz o que tu quiseres

Práticas

A Wicca comemora a Roda do Ano chamando as celebrações de sabbaths, em referência à lenda medieval do sabbath das bruxas. Sua mitologia diz que o Deus nasce no Yule (Solstício de Inverno), filho da Deusa Mãe, cresce durante os sabbaths de Imbolc e Ostara (Equinócio de Primavera) e consuma seu amor com a deusa virgem - uma das faces da Deusa - em Beltane. Atinge o auge da força em Litha (Solstício de Verão) e ele e a Deusa derramam vida e magia pelo mundo, que os humanos colhem em Lammas (Lughnasadh). Em Mabon (Equinócio de Outono) o Deus começa a perder força e morre no Samhaim, para renascer do ventre da Mãe Terra em Yule.



Os wiccanos tambem comemoram os esbatts, as luas cheias do ano. O motivo desses rituais costuma ser mágico, pois acredita-se que a magia está mais potente durante a lua cheia, mas tambem são usados para handfastings (casamentos) e wiccanings (batismos). Alem disso existem diversos ritos na Wicca. Alem dos já citados, existem as iniciações (uma espécie de batismo de novos membros), funerais e graus superiores. 




O ritual wiccano, quando para fins mágicos, consiste na abertura do círculo mágico, invocação das energias necessárias e banimento. Para abrir o círculo o iniciado, com roupas cerimoniais ou vestido de céu, se volta para os 4 pontos cardeais e chama os 4 elementos - Fogo, Água, Terra e Ar. A correspondência entre ponto cardeal e elemento varia de tradição para tradição. Em alguns covens tambem se convocam os elementais ou deuses para proteger os quadrantes. Com o círculo aberto o bruxo manipula ingredientes naturais para alcançar seu objetivo, preparando uma poção, amuleto ou qualquer objeto dotado de propriedades mágicas - a magia wiccana é o que se chama de fetichismo, dar a objetos comuns poderes mágicos. Estes ritos incluem ferramentas mágicas, como uma faca chamada athame, uma varinha, um pentagrama, um cálice, às vezes um cabo de vassoura, um caldeirão mágico, velas, incensos e uma lâmina curva conhecida como bolline. Na maioria das vezes, o altar é obrigatório dentro do círculo, onde todas ou parte das ferramentas citadas são colocadas e, às vezes, junto a representações do Deus e da Deusa. 


Para registrar seu aprendizado, os praticantes da Wicca adotam um diário assim que entram na Tradição. Esse diário, chamado de Livro das Sombras, contem textos, poemas, anotações, pesquisas, rituais e feitiços de autoria do próprio iniciado ou cedidos por seus iniciadores para o início dos estudos.





Livros recomendados: Wicca, a Religião da Deusa (Claudiney Pietro), principal livro sobre o tema no Brasil, responsável pela difusão da Wicca em terras tupiniquins, Enciclopédia da Bruxaria (Doreen Valiente), enciclopédia escrita pela co-fundadora da Tradição Gardneriana, A Bruxaria Hoje (Gerald Gardner), livro que inaugurou a religião, A Verdade sobre a Bruxaria Moderna (Scott Cunningham), e O Livro das Sombras de Scott Cunningham, em que o autor divide suas experiências mágicas com os interessados na senda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário